quinta-feira, agosto 10, 2017

JORNALISTA IRANIANA EXPULSA DA TURQUIA É ACOLHIDA EM ISRAEL

Neda Amin, jornalista iraniana, fugiu do seu país em 2014 e refugiou-se na Turquia em 2014, de onde foi agora expulsa pelo "crime" de escrever para um website israelita. Chegada a Israel, seu novo país de refúgio, já recebeu um visto especial de turista que lhe permite concorrer à condição de asilo político.
Não tendo comparecido no seu voo para Tel Aviv na passada Segunda-Feira, levantaram-se imediatamente suspeitas de algo estivesse correndo mal, ou de que tivesse sido detida pelas autoridades turcas. Finalmente tudo clarificado, ela pôde finalmente embarcar com um bilhete comprado pelo consulado israelita em Ancara, a capital turca.
Constantemente investigada, questionada e incomodada pelas autoridades turcas por causa do "crime" de estar a contribuir regularmente para um órgão de comunicação social israelita, Neda Amin, de 32 anos, acabou por receber ordem de expulsão do país no prazo de um mês a contar do passado dia 5 de Julho. A acusação de que era vítima era a de ser "espia" ao serviço de Israel...


Todos os receios se concentraram então na possibilidade de ela ser recambiada para o seu país natal, o Irão, onde seria certamente presa, torturada e provavelmente até morta.
Israel para ela tornou-se agora um porto de abrigo.
E, tal como o Ministro do Interior escreveu no seu tweet, nós dizemos: "Bem vinda a Israel!"
Horas depois de aterrar em segurança na Terra Prometida, e já na capital Jerusalém, a jornalista persa não se conteve e exclamou:
"Estou muito contente. Israel é o meu país", acrescentando que finalmente se "sente agora segura", porque ali ninguém a irá ameaçar ou prender.
Apesar de ela ter pedido ajuda a outros países da região, Israel foi o único que prontamente se ofereceu para a receber.

Shalom, Israel!